Logística 4.0. Como o Brasil pode transformar a infraestrutura de transportes?

Décadas de má administração e subinvestimento deixaram a rede ferroviária brasileira obsoleta, desperdiçando os potenciais benefícios econômicos para um país voltado para as exportações. Dado o tamanho do Brasil – em cerca de 8,5 milhões de quilômetros quadrados, é a quinta maior nação do mundo, logo atrás da China – os benefícios potenciais de uma rede de carga ferroviária confiável e bem implementada, em algumas situações dá lugar a má gestão, deixando ferrovias marginalizadas entre a infraestrutura de transporte do país, com uma dependência excessiva de estradas para manter a carga em movimento.

A Logística 4.0 é a consequência lógica da influência do progresso tecnológico na indústria. Onde antes as máquinas eram fabricadas, produzidas na linha de montagem, e os processos eram automatizados para otimizar a produção, hoje os serviços inteligentes e a Internet das Coisas (IoT) estão dando início à quarta revolução industrial.

Mas o que isso significa na prática? Desde que não seja possível “transferir” objetos de um lugar para outro (a impressora 3-D já é realidade), o transporte e armazenamento mundial de mercadorias de todos os tipos, grandes ou pequenos, torna-se um permanente desafio logístico. Mas sempre que as decisões precisam ser tomadas, a inteligência pode ser mapeada nos sistemas de informação. Ao digitalizar a cadeia de suprimentos, os processos podem ser otimizados e, em última análise, o tempo e os custos economizados. O uso de tecnologia moderna e aplicativos móveis em logística, portanto, abre possibilidades inimagináveis ​​- tanto para empresas quanto para consumidores privados.

Tendências como a globalização e a urbanização, bem como a transformação digital do mercado de varejo, levaram a um aumento significativo no frete transportado em todo o planeta. Este desenvolvimento ainda está longe de atingir seu clímax. Por exemplo, prevê-se que o volume de encomendas embarcado na Europa aumente em outros 69% até 2021. Esse crescimento maciço exige novas abordagens e conceitos em logística para garantir o transporte e a entrega sustentáveis ​​de todos esses bens.

Incerteza é abundante para o futuro da infraestrutura ferroviária brasileira. Ele tem o potencial de ser um grande facilitador das principais exportações de cargas, como aconteceu em outros países em desenvolvimento, mas sucessivos governos se tornaram tão envolvidos com megaprojetos mal planejados que a eliminação da bagunça e o avanço de um programa de desenvolvimento viável serão uma luta árdua. Quem vencer a eleição presidencial este ano terá um grande trabalho em suas mãos para garantir que a infraestrutura ferroviária do Brasil não esteja no caminho certo para o nada.

 

Logística 4.0, transporte e a empresa inteligente

As empresas de transporte modernas precisam movimentar mais bens do que nunca, atendendo a parceiros e clientes que exigem um serviço rápido e atencioso. É um ambiente acelerado que exige a otimização de todos os recursos, desde funcionários até tecnologia e processos.

Os dados precisam ser coletados, analisados ​​e devidamente interligados em cada etapa. A inteligência artificial (IA), o machine learning (aprendizado de máquina) e a Internet das coisas (IoT), combinados com análises avançadas, podem ajudar as empresas de transporte a se tornarem empresas inteligentes. Empresas inteligentes orientadas por dados utilizam software, tecnologia e plataformas de desenvolvimento inovadoras de três maneiras principais:

Otimização: Maximizar a eficiência e a confiabilidade nos processos existentes.

Extensão: Ir além da eficiência para capturar novas fontes de valor.

Transformação: Reinventar o modelo de negócios da empresa para capturar novos fluxos de receita baseados em dados.

O processo de se tornar uma empresa de transporte inteligente começa com uma cadeia de suprimentos digital ininterrupta.

 

Qual direção seguir?

As organizações de transporte e logística do Brasil enfrentam desafios sem precedentes para acompanhar as demandas dos consumidores. Felizmente, experiências de sucesso já implementadas na Alemanha – pioneira na indústria 4.0, trouxeram as ferramentas necessárias para enfrentar esses desafios de frente.

Tecnologias inteligentes estão prontas para transformar a indústria de transportes. Os parceiros de tecnologia certos podem ajudar sua organização a ir além da eficiência e criar novos fluxos de receita impulsionados por dados. O SAP Leonardo permite que as empresas se tornem empresas inteligentes e orientadas para tecnologias como machine learning, IoT, blockchain e analytics avançados. Além disso, kits de Inovação Industrial, tornam possível capacidades pré-integradas para ajudar a resolver problemas da indústria crítica, para isso, é preciso estar aberto à inovação com tecnologias inteligentes desenvolvidas pelo SAP Cloud Platform, para ir além da eficiência.

 


Referências:
https://www.sap.com/documents/2018/07/d28a739f-127d-0010-87a3-c30de2ffd8ff.html
https://www.railway-technology.com/features/brazilian-railways-infrastructure/
, ,

About Megazine

Notícias, cases e conteúdo sobre soluções de negócios
View all posts by Megazine →

Comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.